Às vezes é difícil fazer as crianças saírem da água, elas desfrutam do mar em todo o seu potencial, e sentem diretamente os benefícios do banho de mar. Criança sabe das coisas!

O banho de mar tem propriedades curativas que mal podemos imaginar. E não é só por aliviar o stress. Ele tem efeito anti-inflamatório, bactericida, laxativo e desintoxicante. E ainda, sabe aquele soninho bom depois de uma tarde brincando na água!? Bem, parte dele é causada pelo magnésio, que faz do mar um relaxante muscular por excelência.

talassoterapia

O magnésio, por sua vez, não apenas relaxa os músculos, também ajuda a hidratar e melhorar a aparência da pele. Por isso, banhos de mar são altamente recomendáveis a quem sofre de pele seca e inflamações frequentes. O tratamento inclui uma esfoliação natural, com a eliminação de células mortas, e um efeito cicatrizante.

A parte da hidromassagem fica por conta das ondas, que ativam a circulação, melhoram a irrigação das células e estimulam a liberação de endorfina, além de ajudar a eliminar a gordura acumulada nos tecidos subcutâneos.

Como se isso não bastasse, o contraste térmico entre o calor do sol e o frio da água também ativam o aparelho circulatório – o calor dilata os vasos e o frio os contrai, facilitando o retorno do sangue das veias em direção ao coração.

talassoterapia

A cura através da água do mar tem nome, é a talassoterapia (talasso=mar, terapia=cura). E, antes mesmo de ser chamada assim, era praticada pelos chineses, que passaram na frente do mundo inteiro, há aproximadamente quatro mil anos antes de Cristo, quando retiravam das algas vermelhas substâncias com poderes curativos.  Depois disso, os antigos gregos e romanos descobriram o alto poder medicinal da água do mar. Até Platão teria sido tratado pelos sacerdotes egípcios com banhos quentes de água salgada.

Nos séculos XVII e XVIII surgiram, na Europa, os primeiros textos sobre o tema e os institutos de talassoterapia. O nome surgiu em meados do século XIX.

Os índios brasileiros conheciam esse potencial há tempos, é claro. Tanto que o banho de mar foi por muito tempo considerado, pela corte portuguesa no Brasil, “coisa de índios ou escravos” ou até um ato imoral. Essa ideia começou a mudar quando o Rei João VI teve de seguir recomendações médicas e banhar-se no mar para combater uma infecção na perna causada por um carrapato. Como ele tinha medo de caranguejos, usou um barril com o fundo tampado como “roupa de banho” (que mico!). Com o tempo, as roupas foram avançando…  Abaixo, no início do século XX, banhistas na Praia de Santos.

talassoterapia

Mas ainda bem que tudo isso é passado, as roupas diminuíram, ficaram  mais confortáveis e o banho de mar já virou até moda. Como terapia, devido a seu grande poder curativo, é indicado para pessoas que sofrem de artrite, bronquite, osteoporose, reumatismo, gota, nevralgia, asma, e outras doenças inflamatórias.

Quem tem problemas alérgicos, como rinite, costuma sentir-se melhor na praia, pois o iodo e o sódio do mar funcionam como um vaporizador. O iodo também é bom para o funcionamento da tireoide, que acelera o processo metabólico e favorece a redução de gordura.

O bem estar e a energia que sentimos com a imersão na água salgada são devidos aos sais minerais, absorvidos através da pele. Com tudo isso, não é de admirar que alguns digam que o mar faz bem não só ao corpo, mas ao espírito. E apenas sentar na praia para contemplar as ondas já faz, sim, um bem incrível!

Wai Wai Praia

Imagine, então, entrar no mar do Cumbuco e – entre pular uma ou outra onda – ter esta visão! Este é o empreendimento Wai Wai Cumbuco EcoResidence. Um visual, à beira do mar, para deixar corpo, mente e alma lavada, você não acha?

Então, a gente encerra o post por aqui, deixando o convite para você vir desfrutar dos efeitos curativos do mar…

banho-de-mar-4

Vem pro Cumbuco! E boa terapia!