+ Conheça Mais
 

Posts com a tag: downwind

 
.

Gente que vive do amor pelo mar: uma inspiração para você!

20 ago
 

Para aproveitar a vida ao máximo, nada como a delícia de praticar um esporte com muito mar, ondas e, quem sabe, céu. O surf, o windsurf, a vela e o kite trazem grandes emoções e até quem está na praia aproveita para bater fotos especiais dos belos momentos em que homem e natureza se harmonizam.

Pôr do sol no Cumbuco

Pôr do sol no Cumbuco

Os esportes para os apaixonados pelas ondas são tão envolventes que levam a passeios pelo mundo, no embalo do vento. Foi o que aconteceu com André Penna, Cedric Schmidt e Carla Lima, que completaram há poucos dias um downwind de kite de mil quilômetros na África, de Moçambique a Zanzibar. Quer saber mais sobre a viagem inusitada? O canal Off vai ter um programa especial sobre ela, “De Vento em Popa”, com imagens capturadas por Rafael Syd.

E há ainda mais histórias por trás das câmeras, de quem vive apaixonado pelo mar. Rafael Syd é um gaúcho que, abastecido com o amor pelo surf,  hoje viaja o mundo inteiro entre ondas e aventuras, pescando belas imagens por aí, sempre com muita água salgada. Antes do “De Vento em Popa”, foi  responsável por “Homem Peixe”, primeira e segunda temporadas e “Custo Zero” (todos produzidos para o canal Off).

Rafael Syd em Teahupoo, no Tahiti, onde estão algumas das ondas mais perigosas do mundo (by Brian Bielmann)

Rafael Syd em Teahupoo, no Tahiti, onde estão algumas das ondas mais perigosas do mundo (by Brian Bielmann)

Rafael tem na bagagem a experiência de trabalhos para grandes marcas, com muitas filmagens aquáticas e produções de vídeos de surf. Já viajou por todo o Brasil e pelo mundo, passando por Noronha, Califórnia, Hawaii,  África…  Nestes últimos dias, emendou o trabalho para o “De Vento em Popa” com o “Surf na África Negra”.

Rafael Syd no trajeto pela África

Rafael Syd no trajeto pela África

Acompanhe aqui algumas fotos da equipe na produção da série.

Depois de pegar aquele calorzinho gostoso no lado leste da África, ele está agora no lado oeste, onde o amor pelo surf é colocado à prova com uma água bem gelada. Mas não tem nada não, o pessoal  não se intimida e surfa mesmo que debaixo de um fog nada londrino. A série vai ter 13 episódios e o trajeto a ser percorrido dessa vez é Namíbia, Gambia, Senegal e Cabo Verde.

Uma prévia de “Surf na África Negra” (by Rafael Papa)

Uma prévia de “Surf na África Negra” (by Rafael Papa)

Claro que, com toda essa inspiração dos programas do Canal Off, você vai se animar para começar logo as próprias aventuras! No Cumbuco tem um mar quentinho e boas pousadas para hospedar sua família e amigos, há escolas com instrutores capacitados, estrutura perfeita para os novos esportes em um horizonte de beleza impressionante. Como se não bastasse tudo isso, o  vento está de volta com força total…

O vento traz alegria para os kitesurfistas, enchendo de cores a praia do Cumbuco

O vento traz alegria para os kitesurfistas, enchendo de cores a praia do Cumbuco

E aqui vai um vídeo de downwind de kitesurf no Cumbuco, para inspirar mais ainda e dar uma ideia do que aguarda você tão pertinho, a apenas 30 minutos de Fortaleza…

 
.
.

Origem do kitesurf

26 set
 


Ele vem atraindo esportistas de várias modalidades, pilotos de parapente, windsurfistas e velejadores que encontram nesse esporte a emoção de juntar o céu e o mar. Tá curioso pra saber do que estamos falando? O nome é o resultado de duas palavras inglesas: “Kite”, que significa pipa e “Surf”, que significa navegar.

O Kitesurf consiste numa espécie de prancha de windsurf tracionada por um pequeno parapente que possibilita velocidade e várias manobras. Teve origem em 1984, fruto da idéia de dois irmãos franceses, mas, só em 1990 é que atingiu sua popularidade.

Bruno e Dominique Legaignoix , desenvolveram uma pipa com câmaras de ar. Uma vez infladas, o ar não escaparia delas, o que permitia que fossem erguidas novamente da água toda vez que caíssem, sem precisar de ajuda de terceiros.

Depois de conseguir patentear a invenção, os irmãos Legaignoix participaram de uma série de regatas internacionais de velocidade com esquis aquáticos para desenvolver o invento nos anos de 1985 e 1986. Só, então, em 1993 as pipas, já desenvolvidas, começam a ser vendidas.

Veja aqui o video de um downwind no Cumbuco:

Imagem de Amostra do You Tube
 
.